Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘games’ Category

Acabei de receber meu reward da Wizards: a aventura The Village of Hommlet. Infelizmente não posso ler ainda pq o Sombra recebeu o dele e vai mestrar pra galera esse mês. Eu estou super empolgado em jogar pq eu tinha o jogo The Temple of Elemental Evil e achava o máximo, principalmente pq ele é turn based e não real time como a série Neverwinter Nights (que por sua vez é multiplayer), o que dá um aspecto muito mais tático ao jogo. No NWN é muito difícil vc dar o passe de ajuste pra evitar o ataque de oportunidade, já no Temple, o combate é  igualzinho ao rpg de mesa.

Quanto ao material em si, não pude ler, mas a capa é bem bonita e cheio de mapas (da cidade e da taverna) e dentro tem um grid de duas faces: uma taverna e uma pequena fortaleza com fosso, que são dois grids genéricos q podemos reaproveitar em diversas aventuras.

Mas a questão principal do post é q o relacionamento que a Wizards tenta estabelecer com os principais disseminadores do hobbie (os DMs) é muito melhor que o de algumas empresas concorrentes. Se mestrarmos no mínimo 5 aventuras no semestre, ganhamos um reward. E eles mandam o brinde pro Brasil inclusive (pelo menos livro né, não sei se fazem o mesmo com miniaturas, que é brinquedo e dá o maior rolo na alfândega).

Eu nunca ganhei um nada da Steve Jackson Games ou da Devir (obviamente não é culpa deles e sim da SJG) por mestrar Gurps, em casa, durante dezesseis anos!!! E mestrando D&D por menos de um ano, eu ganhei essa parada na minha casa.
Ah, o módulo básico segunda edição do Gurps em PT vinha numa capa protetora de plástico e com um d6 bem bonito e o screen (mas a gente logo pensa que tá tudo embutido no preço do livro…são outros tempos, o primórdio do rpg em pt) e a Devir até dá uns brindes pra quem mestra nos eventos deles, mas e todo esse tempo que mestrei meus jogos caseiros? (Mas saibam que mesmo assim, Gurps ainda é meu sistema preferido)

A White Wolf também não tinha essa parada de reward, mas tinha o esquema dos By Night (não era organizado pela empresa, mas eles incentivavam e alguns funcionários ficavam de olho) que teve uma época que virou febre no Brasil. Ao invés de recompensa financeira, vc recebe reconhecimento (mundial e local), o que, do ponto de vista de negócios, é bem melhor pra empresa pq não tem que ficar comprando os mestres com brindes.

O pessoal ficava louco para organizar o By Night da sua região e já começar com um vampiro mais fodão, ou então conhecer a galera local e já se enturmar. Além de ficar discutindo o metaplot como um bando de fanáticos.

O Legend of Five Rings também tinha uma parada dessa. O clã que tivesse maior quantidade de vitórias nos campeonatos do card game, entrava como o vencedor na storyline do jogo. É uma forma do jogador se sentir importante, a vitória dele conta.

Bom, enfim, me enviando esse brinde, a Wizards me deixou mais pilhado pra mestrar em eventos públicos pra outras pessoas (pq meu grupo já tem e vai jogar). E feliz pq recebi um mapinha legal de taverna e forte. Que venham os próximos brindes.

Read Full Post »

Desktop Tower Defense Pro

Meu jogo casual favorito ganhou nova versão: Desktop Tower Defense Pro.
O Desktop Tower Defense é um jogo de construir torres para destruir e bloquear os monstrinhos (creeps) que aparecem na mesa. Vc constrói um labirinto de torres para conduzir os rebanhos de monstros até eles morrerem de tanto tomar tiro.  Nessa versão, existem dois tipos de creeps diferentes: hoppers (eles andam na diagonal) e os decoy (quando são destruídos, viram bichinhos que andam muito lentamente). O lance ficou bem mais profissa mesmo. Eles estão fazendo uma versão para Nintendo DS (que obviamente eu vou querer) aonde vc pode criar os desenhos das suas torres e creeps. Se vc estiver sem nada para fazer na frente do computador e não puder olhar pornografia, vá jogar DTD Pro é bem legal e viciante.
Aliás, na versão anterior, após muitas tentativas, eu consegui concluir o desafio das 100 Waves.

desktop-tower-defense-1001

Read Full Post »

Spore, o jogo mais esperado do ano

Pois é, fiquei um tempo sumido do blog mesmo tendo relatos sobre os jogos de Conan e, principalmente, Zumbis. A razão do sumiço foi o lançamento do jogo SPORE da Eletronic Arts. Eu estava esperando esse jogo faz uns dois anos…

E o que o torna tão esperado assim?

A promessa era de um jogo em que vc joga com uma criatura desde que ela é um simples micróbiozinho e vai evoluindo a criatura até a fase em que ela tem condições de explorar a galáxia. O jogo é dividido nas seguintes fases:

Fase da Poça: Você joga com um micróbio e luta para sobreviver se adaptando conforme ganha pontos (devorando plantas ou outros seres). E os pontos podem ser gastos em adaptações como nadadeiras, espetos, flagelos locomotores, olhos…Vc pode jogar com herbívoro, carnívoro ou onívoro.
Esta foi a fase mais decepcionante pra mim. Eu tava esperando algo no nível de EVO Search for Eden de SNES, com direito a boss no final da fase…aliás Evo é um jogo sensacional.

Fase da Criatura: A sua criatura sai dos oceanos e vai para a terra. Nesta fase a criatura começa a se socializar com outras criaturas. Vc pode chegar no ninho de outra espécie e cantar, dançar se exibir para conquistar sua simpatia e fazer aliados ou então sair matando tudo pela frente. Suas ações lhe garantirão certas características q abrem habilidades especiais nas fases posteriores. P.ex. se vc for do tipo amigável, vc ganha poderes sociais. Se for agressivo ganha poderes voltados pra porrada.

Fase Tribal: Vc se tornou a criatura mais desenvolvida do planeta e agora se agrupa e começa a disputa por poder dentro da própria raça. Sua criatura desenvolve ferramentas. Novamente vc pode optar pelo caminho pacífico ou porradeiro.

Fase da Civilização: Esta fase parece um jogo de war. Tem o mapinha com as cidades e vc tem q dar um jeito de unificar seu povo. Vc tem transporte terrestre, marítimo e aéreo à sua disposição.

Fase Galática: É a fase mais longa q vc vai jogar. A galáxia tem muuuuuuuitos sistemas solares, wormholes, e outras coisas para vc explorar. Vc joga com uma nave espacial e sai por aí, conhecendo os alienígenas, estabelecendo parcerias, invadindo planetas, abduzindo espécies, explorando e numa fase mais avançada vc consegue terraformar planetas, criar vida e fazer ela evoluir.

Eu esperava algo diferente desse jogo…algo mais sério no estilo Civilization, mas eles preferiram fazer um jogo mais divertido do que estratégico.

É um bom jogo e eu recomendo, mas esperava algo diferente.

O grande barato é que vc pode baixar as criaturas, construções, veículos, vestimentas, etc feitas por outros jogadores, tornando a exploração da galáxia uma surpresa atrás da outra.

Read Full Post »